A história da Umbanda – Conheça sua origem, práticas e linhas

filhos de ossaim

A Umbanda é uma religião nova, com aproximadamente 100 anos, é tipicamente brasileira e cristã. Confundida com o Candomblé e outras práticas ancestrais africanas, essa é uma representação religiosa e cultural que diz muito sobre a narrativa do Brasil. Sem contar que explica bastante sobre o período de mudanças em que foi instituída enquanto crença. Quer saber mais sobre ela? Então, confira agora a história da Umbanda e todos os seus princípios.

A origem da história da Umbanda

A Umbanda é uma religião que nasceu da virada do século XIX para o século XX. Tem forte base no Kardecismo, ou seja, nos estudos e práticas de Allan Kardec, amplamente difundidas a partir da metade do século XIX no Brasil.

Diferente do Candomblé, a Umbanda é uma religião urbana influenciada pelas práticas religiosas das senzalas que, por sua vez, eram sincretizadas com as práticas dos escravos.

Assim, a história da Umbanda mostra que ela é uma religião que surge na transformação das cidades pela necessidade de integrar as práticas ritualísticas das senzalas com a exigência de um espaço urbano menos livre e mais ordenado.

A importância de Zélio de Moraes na história da Umbanda

Segundo algumas fontes, a história da Umbanda teria início em 1908 quando foi fundada pelo médium Zélio Fernandino de Moraes. Na época, esse homem estaria doente e teria sido levado a um “centro de mesa” (ou seja, kardecista), por um parente.

Neste centro, sentado na corrente, Zélio teria recebido um espírito que ordenou que ele fosse buscar uma rosa branca. Depois de sair da corrente para buscar a rosa branca, ao voltar, muitos outros irmãos de corrente receberam espíritos de pretos e índios e foram coibidos pelo dirigente, com o argumento de que eram “espíritos atrasados”.

A entidade de Zélio, que se anunciou no dia seguinte como Caboclo das Sete Encruzilhadas, teria, então, se retirado e dito que voltaria no dia seguinte na casa de Zélio onde pudesse ser bem ouvido e aceito.

Assim, no dia seguinte uma multidão de curiosos, parentes e kardecistas se reuniram na casa de Zélio onde, às 20 horas, o Caboclo das Sete Encruzilhadas aparecerá para fundar uma nova religião, baseada nos valores cristãos da caridade e do amor ao próximo.

A história da Umbanda então teve início como uma religião que trabalharia com os espíritos dos sábios pretos velhos e caboclos e atenderia os necessitados de graça. Também foi o Caboclo que disse que os médiuns deveriam trabalhar de branco em casas organizadas por dirigentes e que seguiriam os preceitos de Cristo.

As diferentes linhas que surgiram na história da Umbanda

Como a Umbanda é uma crença ritualística que cresceu muito no século XX, várias linhas foram se proliferando, agregando outras práticas. Desde o começo da história da Umbanda, pode-se perceber que ela é uma religião democrática e inclusiva.

Assim, influências orientais, influências africanas, influências esotéricas e influências kardecistas foram incorporadas em várias Casas, de acordo com a proposta e as ordens recebidas pelos respectivos dirigentes e por seus guias-chefes.

Por um lado, isso ocasionou que muitas Casas e filhos de santo sofressem com a má índole e transtornos de personalidade de Chefes de Terreiro, bem como com a falta de informações confiáveis sobre a religião, que sempre aconteceu muito mais na prática do que na teoria.

  • Conheça agora as Sete Linhas da Umbanda

A história da Umbanda no século XXI

Hoje, há muito mais estudos científicos e religiosos sobre a Umbanda que levam em conta a diversidade e procuram levar informação aos médiuns que sofrem sem saber o que fazer com sua mediunidade. Vale lembrar que os preceitos da Umbanda permanecem o mesmo: caridade, democracia, acolhimento e evolução espiritual.

Agora que você aprendeu a história da Umbanda, conheça outras curiosidades da religião com os seguintes textos:

Especialistas online

Mel D'Oxum

Oraculista

97% Avaliações Positivas

900 Consultas

R$4,49 por min. R$2,18 por min.

CONSULTAR AGORA

Yshmah Hamed

*Taróloga e Psicóloga*

90% Avaliações Positivas

2190 Consultas

R$4,49 por min. R$2,18 por min.

CONSULTAR AGORA

Leandro Tarólogo

Tarólogo

98% Avaliações Positivas

254 Consultas

R$4,49 por min. R$2,18 por min.

CONSULTAR AGORA

Zelei Egípcia

baralho cigano terapeuta floral reiki

83% Avaliações Positivas

193 Consultas

R$4,49 por min. R$2,18 por min.

CONSULTAR AGORA

Comentários

  • Boa noite.
    Eu segui catolicismo por dezessete anos.
    Depois foi a Batista
    Por último foi a assembleia.
    Mais foi na umbanda que eu me sente bem e estou até hoje.
    Não abro mão por nada.⚡🪓🏹

    • Oi, Denis.

      Muito bom saber que você conseguiu se encontrar na Umbanda.
      O fato de você ter passado por outras religiões só mostra como você não tem preconceito em relação às coisas.

      Parabéns! Beijos

  • Crie seu blog e fale mais a respeito. O Brasil possui uma tão vasta coleção de religiões e cultos a diversas entidades e você quer afirmar sua crendice em apenas sua opinião? Sou Protestante, e Respeito todas as crenças, apesar de não compactuar com certos rituais, todavia toda essência e poesia das religiões, são belíssimas, e em sua maioria, buscam elevar o espírito humano e fazer o bem ao seu semelhante.

    • Sou: Denis :
      O que eu quero saber.
      Porque algumas religiões dizem não acreditar em vidas passadas ?
      Mas acredita no espírito?

      O espírito não é as vidas passadas?

      • Oi, Denis.

        Algumas religiões dizem não acreditar simplesmente porque não acreditam.
        Cada uma delas têm suas crenças, dogmas e costumes.

        Espírito não é a mesma coisa que vida passada. Dentro de nós, temos nosso espírito, podemos chamar de alma também.
        O que acontece é que depois que morremos, esse espírito pode ter assuntos mal resolvidos e não realizar a passagem.
        Tudo depende muito do que você acredita, existem pessoas que crêem em céu e inferno, outras em vida passadas.
        Pense mais no que você vê como verdade, não na religião. Essas religiões não vêem o espírito ligada a vidas passadas. Muitas delas vêem o espírito como algo dentro de nós, e que chamamos também de alma

        Beijos

  • Nossa estou perplexo e estupefato. Não existe Kardecismo. Existe espiritismo e só, que é bem diferente de Umbanda, nem melhor nem pior, somente bem diferente. E espiritismo não é e nem nunca será “Centro de Mesa”.

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *